O governo provoca crises para se fortalecer, você já pagou R$ 66.797,93 de imposto esse ano

Estava com esse artigo para escrever a alguns meses, porém o tempo está cada vez mais curto. E qual o grande motivo para o tempo ficar cada dia mais escasso? A crise, sim com a crise temos que trabalhar cada dia mais para receber cada vez menos. Mas afinal o que é essa tal crise? Quem se beneficia dela? Qual a origem da crise? Quais soluções estatais e soluções reais?

O que é a crise?

Desde criança escuto que o Brasil está em crise, mas a maior das pessoas não sabe o que é a crise de fato. É bem simples, existem dois tipos de crises:

  • Geradas pela evolução: Quando um produto ou serviço novo substitui um antigo, então os antigos fornecedores devem se adaptar a nova realidade ou irem a falência. Exemplos: Carroça para Carros, Máquina de escrever para Computador, Taxi para Uber, Gelo para Geladeira, Vela para Lâmpada.
  • Geradas pelo governo: O governo busca socializar os anseios da população, então realiza intervenções, quando chega a conta para população se inicia a crise. Enquanto existir governo sempre existirá uma crise em menor ou maior proporção, porém nós sentimos a crise apenas quando ela aumenta. O peso do governo sobre o cidadão é medido pela soma do custo dos tributos (impostos e taxas) mais o custo da regulação. Em 2015 cada trabalhador brasileiro entregou ao governo através dos tributos R$ 6.747,26 por mês na média. Para cada trabalhador o valor muda, porém os mais pobres sempre pagam uma porcentagem maior do seu salário, mesmo que o valor absoluto sendo menor. Teria que somar o custo da regulação ao custo dos tributos, embora impossível de calcular o valor exato devido a forte regulação estatal na economia brasileiro, podemos dizer com segurança que a soma da tributação e regulação é superior a 75% da renda do trabalhador, ou seja, se você recebe R$ 1.000,00 na sua mão, é porque o governo já ficou com R$ 3.000,00 para ele. Se a presença do governo cair para 50%, todos ficarão felizes e dirão que o presidente que tomar essa iniciativa é excelente, pois antes recebiam R$ 1.000,00 e agora R$ 2.000,00. Mas a verdade é que esse presidente não eliminou a crise apenas diminuiu ela, retirando uma parte do peso do governo sobre a população, mesmo assim o trabalhador estará entregando R$ 2.000,00 para o governo sem perceber.

Quem se beneficia com a crise?

  • Gerada pela evolução: toda sociedade se beneficia, pois você passa a adquirir produtos melhores e/ou com um custo mais baixo.
  • Gerada pelo governo: Os políticos e seus comparsas que detém o poder estatal. Pois o governo favorece empresas ligadas aos políticos e o povo fica mais dependente do governo quanto maior a crise. O povo tende a buscar no governo a solução de uma crise causada pelo próprio governo, portando se torna cíclico quando o governo intervém para solucionar uma crise gera outra automaticamente.

Qual a origem da crise?

  • Gerada pela evolução: a vontade do empreendedor satisfazer seus clientes e expandir sua empresa oferecendo mais soluções para sociedade. Então arrisca perder todo dinheiro investido em uma ideia pela chance dela ser aceita pelos clientes. Os que não conseguem acompanhar a evolução acabam ficando sem clientes.
  • Gerada pelo governo:
    Conheço 5 formas do governo originar crises:
    – Imprimindo Dinheiro: Para aumentar a movimentação da economia, o governo imprime mais dinheiro do que deveria. O dinheiro deve representar o valor de algum produto, mas quando o governo imprime dinheiro simplesmente porque ele tem a máquina, acaba gerando inflação e desvalorização da moeda, pois aquele dinheiro não representa um produto produzido.
    – Criando Leis: O governo cria leis para favorecer empresas específicas e prejudica as concorrentes, consequentemente os produtos ficam mais caros e quem paga é o povo. Geralmente essas leis geram oligopólios e monopólios. Além de favorecer a corrupção.
    – Criando Tributos: O governo cria taxas e impostos para pagar por sua manutenção, expandir suas ações, facilitar corrupção. O tributo cai sempre sobre o trabalhador mais pobre. Os tributos impedem o acesso da classe baixa e média a diversos produtos, mantendo a exclusividade para os ricos. Com o aumento dos tributos, os preços sobem e o povo acaba comprando menos com o mesmo dinheiro.
    – Investindo: Apesar do dinheiro do governo ter sido retirado da população, ele é utilizado de acordo com as necessidades dos políticos, dessa forma eles acabam investindo em áreas que não deveriam gerando demandas artificiais conhecidas como bolhas.
    – Pedindo empréstimos: O governo vai gastar mais dinheiro do que tem em caixa e pede dinheiro emprestado.

Quais soluções estatais e soluções reais?

  • Gerada pela evolução:
    – Solução estatal: o governo para proteger as pessoas que não querem evoluir, cria leis para que a população não tenha acesso as inovações tecnológicas e aos melhores serviço (caso Uber), o governo cria uma taxa e/ ou imposto sobre o novo produto para impedir que a população tenha condições financeiras de adquirir um produto melhor ( caso dos eletrônicos, perfumes importados).
    – Solução real: deixar as pessoas escolherem como elas querem gastar seu próprio dinheiro, não as punindo por buscarem uma vida melhor. As pessoas que trabalhavam para oferecer produtos ou serviços ultrapassados não ficarão sem emprego, podem trabalhar nas inovações ou partirem para outro setor, o único motivo do ser humano dominar a terra é por sua flexibilidade para se adaptar a novas realidades.
  • Gerada pelo governo:
    – Solução estatal quando o governo imprime dinheiro: Para inflação, o governo congela os preços gerando a falta dos produtos nas lojas. Para desvalorização da moeda, o governo vende dólar gerando uma ilusão de que está tudo bem, quando na verdade o governo está ficando sem reservas e terá que aumentar os tributos para refazer o caixa.
    – Solução real quando o governo imprime dinheiro: Para inflação, parar de imprimir dinheiro a mais, apenas substituindo as cédulas e moedas velhas. O dinheiro vai parar de girar além do necessário e os preços voltarão a representar o real valor do produto. A livre concorrência com outras moedas através da quebra de monopólio também é necessária.
    – Solução estatal quando o governo cria leis: Por exemplo, o governo criou leis para que o Petróleo fosse do Brasil e o Petróleo brasileiro supostamente não seria roubado pelos estrangeiros, então o monopólio é da Petrobras, mas como a Petrobras sempre trabalhou no vermelho, precisa vender a gasolina muito cara para cobrir esse prejuízo, para solucionar esse problema criado pelo governo, o próprio governo decidi que a gasolina deve ser diluída com álcool. Resultado a gasolina brasileira rende menos e ainda pode estragar o carro.
    – Solução real quando o governo cria leis: A regulação sobre o Petróleo no Brasil faz com que o povo pague R$ 3,40/litro, sendo que o valor real da gasolina pura seria R$ 0,49/litro já na bomba. O custo das leis sobre o Petróleo é de R$ 1,27/litro de gasolina, mais o custo da diluição.
    – Solução estatal quando o governo cria tributos: Como a criação do imposto diminuiu a renda do trabalhador, o governo tem a grande ideia de dar vantagens exclusivas para uma parcela da população, consequentemente esses acabam se aproveitando e desperdiçando o dinheiro que saiu do trabalhador, como o governo criou vantagens exclusivas, alguém terá que pagar por essas vantagens e novamente criará impostos sobre os trabalhadores.
    – Solução real quando o governo cria tributos: O governo deveria acabar com os tributos, sim, essa é a única forma do trabalhador gastar seu dinheiro com o que lhe interessa, o ser humano tem gostos diversos, mesmo se o governo fosse 100% eficiente em sua proposta, nunca administraria seu dinheiro melhor do que você mesmo. Uma pessoa que paga o IPVA, mas nunca sai com o carro está sendo roubada, se você comprou seu terreno, sua casa, porque tem que pagar o IPTU sobre o que já é seu? Isso é roubo. No exemplo da gasolina pura que seria R$ 0,49/litro já na bomba, mas temos que pagar R$ 1,645/litro de imposto, você pediu algum serviço para o governo para ter que entregar esse dinheiro a ele? Com certeza não, quem gosta dos produtos e serviços do governo devem pagar por eles, mas de modo voluntário e com livre concorrência, sem ser imposto a quem não vai utilizar. Em 2015 os brasileiros pagaram R$ 1.630.000.000.000,00 em impostos, ou seja, cada um dos 24.401.953 (média de janeiro a setembro de 2015) brasileiros economicamente ativos contribuíram com R$ 66.797,93 de 1 de Janeiro de 2015 até hoje 24 de Outubro de 2015. Com esse dinheiro você não precisaria de nenhum serviço público.
    – Solução estatal quando o governo gera investimentos: Reformas para que o dinheiro seja melhor investido, novos ministérios e aumento geral do peso do governo sobre a população.
    – Solução real quando o governo gera investimentos: O governo deveria investir apenas o dinheiro do lucro das estatais, caso elas conseguissem dar lucro em um cenário livre de impostos e de livre concorrência.
    – Solução estatal quando  o governo pede empréstimos: Como as estatais só trabalham no prejuízo, deve-se pedir mais empréstimos para pagar o juros dos empréstimos anteriores e criar novos impostos.
    – Solução real quando o governo pede empréstimos: O governo não produz, como alguém que não produz pede dinheiro emprestado? O governo deveria vender seus bens até pagar suas dívidas e não pedir mais empréstimo. Quem poderia pedir empréstimo seriam apenas as empresas estatais que fossem lucrativas, se é que existem.


 

Saiba Mais:

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/trabalhoerendimento/pme_nova/defaulttab_hist.shtm

http://www.impostometro.com.br/

http://renatofurtado.com/wp/2015/05/13/imposto-e-sempre-para-o-trabalhador/

http://renatofurtado.com/wp/2015/08/30/gasolina-seria-vendida-a-r-049litro-nos-postos-se-nao-existisse-o-governo/

Renato Furtado
Sobre Renato Furtado 100 Artigos
Monoteísta Noeísta, empresário e luta pela Democracia Plena. Dono da página Todo Trabalhador é Capitalista e RenatoFurtado.com no Facebook.

Seja o primeiro a comentar

Comente para que eu possa evoluir a cada artigo