Negros escravizaram portugueses por mais de 741 anos

A grande divida que os brancos tem com os negros por 400 anos de escravidão é provavelmente a maior mentira já contada na história. O preconceito contra os brancos é tão grande que até o google mudou o resultado da minha pesquisa de “império mouro escravidão” para “império romano escravidão”. Mouro vem do latim Maures que significa Negro, devido a cor da pele deles dos integrantes do Império Mouro.

O Império Mouro foi o grande império muçulmano que conquistou o norte da África, Oriente Médio e Península Ibérica ( onde hoje se localizam Portugal e Espanha), é o mesmo império que alguns muçulmanos querem refazer através do estado islâmico. Com o regime de Califado, onde um homem seria escolhido por Deus para liderar o povo muçulmano na conversão do mundo para o islamismo.

Com o declínio do Império Romano, o Califado conseguiu uma brecha e em menos de uma década conquistou a península Ibérica inteira. Apesar da resistência de algumas regiões que voltaram rapidamente ao domínio Cristão, o Império Mouro permaneceu de 711 até 1452 na península, o que nos leva a 741 anos de ocupação e também de escravidão do povo cristão, sendo que após serem expulsos da península ibérica continuaram a escravizar portugueses, principalmente os que moravam no litoral e eram alvos fáceis.

Se considerarmos o tempo que os portugueses escravizaram negros de 1415 a 1975 ( se considerarmos o período colonial da Angola e Moçambique pós escravidão, pois a escravidão foi abolida em 1869), foram 560 anos. É um mal caratismo populista sem fim dessas organizações racistas promotoras de conflitos que nem deveria existir a essa altura do campeonato.

A escravidão sempre existiu e sempre foi com o intuito de gerar mão de obra e não por causa da cor da pele. Brancos já escravizaram brancos, negros já escravizaram negros. Nos primórdios o escravo era propriedade de outra ou em algumas nações os escravos eram os que pagavam impostos e os cidadãos não pagavam.

E com o fim da escravidão o que realmente aconteceu foi que todos nos tornamos escravos através da cobrança de impostos. E para manter seu poder escravocrata o governo vem promover o conflito entre brancos e negros.Mais liberdade, menos dependência, quanto menos pedirmos ao governo, menos impostos pagamos e enfraquecemos o governo.

califado-750dc


Saiba mais sobre o assunto ( Atualizado em 25 de Outubro de 2015):

  • Na época os portugueses não eram chamados de portugueses, porém muitos portugueses são descendentes dos mesmos incluído eu mesmo que na época o sobrenome dos meus antepassados era Hurtado, sendo alterado posteriormente para Furtado de Mendonça, culminando em apenas Furtado. Não deixem manipuladores ideológicos enganarem vocês por questão de nomenclatura, os nomes podem mudar, mas isso não altera a descendência.
  • Quando eu falo “Negros” é por que assim eram chamados mesmo os que tinham a pela não tão escuras, os descendentes deles recebem bolsas e cotas no Brasil, então eles podem ser considerados negros pelo padrão atual brasileiro também.
  • Eslavos foram escravizados por séculos e ninguém comenta sobre isso, até a primeira guerra mundial a Polônia estava sob domínio da Rússia.
  • Os irlandeses foram os primeiros escravos a serem trazidos ao Brasil, porém davam muito trabalho e acabaram perdendo valor. (é o que devemos fazer para deixarmos a escravidão estatal, darmos trabalho ao governo até ele desistir de nos escravizar).

Recebi um e-mail de uma pessoa que não conheço, chamado Sérgio Castro no qual ele me disse:
“Sou pesquisador histórico e tive a oportunidade de pesquisar livros escritos em Portugal, Espanha e no Brasil nos séculos XVI, XVII e XVIII, arquivos e Bibliotecas nacionais. Onde colocou portugueses, coloque brancos, pois também outros povos ibéricos foram escravizados, entre eles portugueses, galegos, castelhanos, andaluzes, catalães, bascos, andorranos, etc. O período que foi está correto, eles exploraram , dominaram e escravizaram, mulheres eram estupradas,e a lei da Sharia acontecia em mais ou menos toda a península.
Sugiro que corrija o seguinte:
O período escravagista não foi logo de 1.500 com o descobrimento, mesmo porque só haviam expedições de reconhecimento ainda e feitas desde 1480! Em segredo, por todo o Novo Mundo. Podemos colocar mais ou menos 1.700 o incremento de populações com servos e não escravos, pois escravos quem os tinha eram grandes senhores de engenho.Estes senhores de engenho compravam servos dos escravagistas judeus sefarditas (em sua maioria) que trocavam produtos com tribos escravagistas africanas dos reinos Bantus. Eles os vendiam por toda a América. e no caso brasileiro já independente foi terminado o tráfico em 1860, porém ainda restavam poucos mercadores até 1889, 1890, a princesa Isabel verificava pessoalmente nas vilas até de Ilha Bela. Ilha Nova da Princesa. É de ressaltar que um servo (e não escravo) no Brasil tinha melhores condições de vida que qualquer africano do seu tempo e é claro, foi lhe dada nova chance de viver, pois praticamente estavam condenados a morte. O período de servidão foi portanto de 1.700 a 1.890.  O que coloca em relação a África, lusófona , desde a Conferência de Berlim houve um incremento nos entrepostos comerciais (colônias) de países europeus. bem lucrativo para ambas as partes. e gradual desenvolvimento e assimilação de povos que queriam viver cada vez mais perto das cidades europeias (brancas) Na África não houve dito escravismo, mas o aproveitamento de mão de obra em troca de alimentos, vestuário. O que expandiu por todo o continente. Na década de 1930 já havia política de salários para os assimilados que escolhiam trabalhar na cultura europeia, quem não queria vivia no interior, em seu modo de vida tribal.  Outro ponto a ressaltar é que a escravidão existe desde a antiguidade, diversos povos escravizaram Romanos, Egípcios, Sumérios, em especial os árabes na África até hoje mantém sistemas parecidos como parte de sua Sharia por exemplo, exageram e sobrepõem-se a outras minorias.” Sérgio Castro.

711/2011 – 1300 anos da invasão Moura em Portugal!

Como foi a ocupação moura da península Ibérica? – Mundo Estranho (Abril)

A gênese do terror e o acirramento da luta entre Ocidente e Oriente: os Impérios da pólvora muçulmanos.

Mouros Negros e Mouros Pretos

Expansão dos otomanos deixa na defensiva a Europa cristã – Veja

África escravizou 1 milhão de brancos, diz historiador – Folha de São Paulo/ Reuters

Al Andalus

A vigarice acadêmica em ação – Olavo de Carvalho

Um blefe descomunal – Olavo de Carvalho

A Manilha e o Libambo: a África e a Escravidão de 1.500dc a 1.700dc

Escravidão e Hierarquia na Antiguidade Bíblica – PUC Rio

Arab and Berber (Moor) paintings

The White Slaves of Barbary

Slavery in Portugal

The Indigenous Berbers of Africa – By Natural Mystics

Wild Men and Moors painting

When Black Men Ruled the World: 8 Things The Moors Brought to Europe

Livro: Guia politicamente incorreto da história do Brasil por Leandro Narloch
Livro: Guia politicamente incorreto da história do Brasil por Leandro Narloch
livro-cristaos-escravos
Livro: Christian Slaves, Muslim Masters: White Slavery in the Mediterranean, the Barbary Coast and Italy, 1500-1800 (Early Modern History) por Robert C. Davis
Livro: O escravo nos anúncios de jornais brasileiros século XIX
Livro: O escravo nos anúncios de jornais brasileiros do século XIX

Para quem estiver com preguiça de ler

Obs. Artigo foi publicado originalmente no site Liberdade em Foco em 26 de Março de 2015 por Renato Furtado (eu mesmo) com título “Negros escravizaram portugueses por mais de 741 anos”.

Renato Furtado
About Renato Furtado 93 Articles
Cristão, empresário e luta pela Democracia Plena. Dono da página Todo Trabalhador é Capitalista e RenatoFurtado.com no Facebook.

23 Comentários

  1. É dificil entende3r q ARABES não são negros??? Vai lá no norte da Africa pra ver se eles são negros… eles são caucasianos. Pqp e essas pinturas com negros são de artistas que nunca nem chegaram perto da iberia ou do norte da africa e achavam que eles eram negros. Claro, tinham alguns negros que vinham de songhai e da parte subsaariana do califado. Alguns como escravos outros como soldados ou comerciantes. Pesquisa um pouco antes de sair escrevendo merda

    • paidaservas está redondamente errado. O Norte de África (Marrocos, Argélia, Tunísia, Egipto, Líbia e Mauritânia) são países habitados, originalmente, por africanos de raça negra. É uma região predominantemente árabe. Desde o início da expansão do Islão (século VII), as migrações e mais tarde a escravatura por parte dos europeus que o aspecto físico tem sofrido alterações (miscigenação) levando a que a grande maioria (não todos) dos habitantes do Norte de África tenham ficado com a pele mais clara, sendo um erro enorme dizer que são caucasianos, conforme você afirma. A arte rupestre encontrada nessas regiões é mais um indício de que a raça negra é a raça original do Norte de África.

  2. Gostei do cobtiudo e desejo mais força nas suas edições. Gostaria que publicasses também uma mátria relatando com clarividência a verdadira origem dos hebreus.

  3. Lá vem o branco dizendo que é vítima do racismo kkkkkk Tem que ser cristão, mesmo, acha que vamos no calar pra vocês? Tá enganado.

  4. Isso é fato. É história. Negros escravizaram brancos e brancos escravizaram negros. Índios também escravizaram. É só estudar um pouquinho que vai aprender. Achismo não ganha debate. O que ganha é a verdade, os fatos. Não tem como discordar. Povos escravizaram e ainda hoje escravizam. Não se escraviza pela pele. Se escraviza por interesses de roubar. A pele é só um pretexto. Na pratica, escravizou-se sempre o povo que era de outra região. Assim como as tribos. Uma tribo lutava, vencia e pilhava e escravizava a outra. É claro que eram negros. Qualquer que tenha a pele escura é negro. E aqueles povos eram povos africanos, e de regiões onde a pele é escura, de origem, por natureza. Não é questão de vitimismo. É questão de estudar. Questão de honra e de caráter mesmo. O que acontece é que grupinhos de seres humanos sempre causaram divisões pra depois que dividirem o povo conquistarem seus terrenos e os escravizarem, como os banqueiros fazem com o mundo hoje. Roubando dom povo, plantando discórdia, como o futebol por exemplo, novelas, racismos, pro povo se odiar e não lutar contra os inimigos de verdade. Os multimilionários imperialistas, que querem construir novos impérios modernos com o sangue dos pobres e a escravidão moderna.

  5. Negros escravizaram brancos, e brancos escravizaram negros.
    Índios também escravizaram.
    Povos escravizaram e ainda hoje escravizam.

    Não se escraviza pela pele.
    Se escraviza por interesses de roubar.
    A pele é só um pretexto. Hoje é o território, amanhã é a pele.
    Na pratica, escravizou-se sempre o povo que era de outra região. Assim como as tribos. Uma tribo lutava, vencia e pilhava e escravizava a outra.

    O que acontece de fato é que grupinhos de califas, reis, riquinhos, de monstros que se dizem seres “humanos” sempre causaram divisões pra depois que dividirem o povo conquistarem seus terrenos e os escravizarem,
    como os banqueiros nefastos fazem com o mundo hoje.

    Não importa pra eles, se é negro ou branco ou amarelo, eles só querem império e dinheiro.

    Roubando do povo, plantando discórdia, como o futebol por exemplo, a religião, as novelas, racismos, pro povo se odiar e não lutar contra os inimigos de verdade.

    Os multi-bilionários imperialistas, que querem construir novos impérios modernos custe o sangue dos pobres e a escravidão moderna.

    Através da mídia. Das merdas engarrafadas como a Cocaína em garrafa, a Coca Cola, e sejam quais outras drogas que se inventam todos os dias. Matam o corpo das crianças e dos adultos pra os enfraquecer pra ficar mais fácil roubar. Simples assim.

    Quem são os inimigos reais do mundo? Todos os imperialistas. Os poucos que existem. Os multi bilionários antigos. Não a cor da pele. Não as marionetes chamados políticos, seus funcionários. Isso é fato. É história.

    É só agente no mínimo, tomar consciência, responsabilidade e boicotar o sistema, não fazendo o que o sistema quer.

  6. Muito interessante e esclarecedor o texto. Fiquei intrigado com a citação que os primeiros escravos a serem trazidos para os Brasil eram Irlandeses…. Tem algum texto sobre esse assunto?

  7. Esse artigo é uma pura mentira. Desde quando os árabes e mouros são negros?
    Os árabes e mouros são classificados pelos antropólogos como sendo caucasianos mediterrâneos, sendo mais próximos das populações européias atuais do que dos negróides atrasados e selvagens da África Negra.
    O fato deles terem pele escura foi apenas por mera adaptação a forte irradiação solar do Oriente Médio e do Norte dá África. Pois, desde quando cor da pele escura quer dizer que você é negróide?
    Se assim fosse, os japoneses também seriam brancos como os europeus só porquê tem pele clara!
    Mas, a julgar pela estrutura óssea, formato do crânio, textura do cabelo e forma do nariz, além da genética, ambos os povos, árabes e mouros, são e devem ser caucasianos, tendo nítidas características caucasicas em seu fenótipo, ao invés dos horríveis traços negróides, que só os chimpanzé s humanóides dá África Subsaariana possuem.

    • Carlos,

      Muito me surpreendeu que o seu comentário tenha-se iniciado aparentemente bem e tenha terminado de forma tão deplorável. É de se lamentar que haja pessoas que façam mal uso deste espaço virtual, inicialmente destinado a um debate saudável sobre africanidade e sobre temas correlatos, postando comentários tão absurdos e retrógrados.

      Desde já expresso o meu repúdio ao seu comentário, que foi extremamente indelicado e grosseiro. Se existe alguém atrasado, este alguém é você, que parou no tempo e não avançou com a sociedade, que já alcançou um estagio de superação (ou, ao menos, da tentativa de superação) das desigualdades raciais e sociais a fim de criar uma comunidade mais justa e fraterna.

      É incrível como o seu infeliz comentário, mesmo sendo tão breve, pôde conter tantas incoerências e contradições. Você se esforçou tanto para diferenciar os mouros caucasianos dos povos negros da África subsaariana (que são etnias de uma mesma espécie), para, por fim, igualar toscamente os negros aos chimpanzés (que pertencem a espécies distintas). Quanta tolice!

      Uma pessoa que escreve este tipo de coisa, com certeza não está bem consigo mesma. Para você vale aquela velha máxima: “Não existe complexo de superioridade, mas somente o de inferioridade”. Pessoas soberbas que querem aparentar opulência e altivez, na verdade, sofrem de insegurança, sentindo a necessidade de se autoafirmarem. Todas elas estão destinas à derrota e à humilhação, como a dos alemães nazistas, que acreditavam que o III Reich duraria 1000 anos, mas só durou 12. Por outro lado, a vergonha de ter seu país dividido e dominado por outras potências durou várias décadas…

      Caso você não saiba, a África negra possui uma riquíssima História, tendo sido palco de civilizações social e culturalmente complexas e prósperas, como o milenar Império Etíope, capaz de vencer o colonialismo dos fascistas italianos, os poderosos mandigas, sediados em Kaabu, que dominaram por séculos a região entre os rios Gâmbia e Casamance, ou o Reino do Congo, que estabeleceu alianças diplomáticas e comerciais com Portugal e com Roma ainda no século XVI, apenas para citar alguns exemplos.

      E não é só. O seu desprezível comentário, não apenas é moralmente reprovável como também constitui um crime, conforme art. 20, da Lei n° 7.716/1989, e, caso a sua verdadeira identidade seja descoberta, você será alvo de uma investigação criminal. Vale lembrar que o crime de racismo é imprescritível e inafiançável, consoante art. 5°, XLII, da Constituição Federal.

      Sou afrodescendente e me orgulho de todos os meus traços negroides, não tendo motivos para pensar diferente. Agora, se eu fosse racista como você, aí, sim, teria muitas razões para abaixar a cabeça e me envergonhar.

      Se você se considera tão superior assim, poderia começar a praticar atos mais nobres e louváveis, e deixar de praticar crimes pela Internet, covardemente escondido atrás de uma tela de computador. Afinal de contas, sair atacando os outros de forma gratuita e despropositada, isso, sim, é ser selvagem e bárbaro.

  8. Artigo revisionista sem base histórica. O império islâmico conviveu pacificamente com os cristãos que inclusive podiam praticar sua religião. Havia sim um imposto extra para não convertidos e os árabes não são negros na maioria. A diversidade desses povos é grande. Na verdade dominaram por tantos anos porque estavam num grau de desenvolvimento maior. Não fossem eles ainda faríamos contas em romanos com seus XX, v e pauzinhos por muitos anos. Ao contrário dos tempos atuais, onde a civilização árabe está atrasada pelo apoio ocidental a despotas como a real família saudita sanguinária a troco de petróleo barato e infelizmente vai avançando pela Europa devido a sua alta natalidade e a baixíssima dos europeus. Triste vai ser ver a Europa na mão de uma civilização mais atrasada. Quanto a escravidão dos africanos foi o maior genocídio dá história e o Brasil pena até hoje por isso.

  9. Ah, e foi por causa da escravidão que nasceram o preconceito e a discriminação.
    Quando escravizaram os gordos, os feios, os pobres, os gays, os cegos, os deficientes?
    O fato é que tem muito branco que não gosta de preto mesmo. Muito machão que odeia gays e lésbicas, muitos reis da beleza e rainhas que abominam os feios, gordos, e com alguma disfunção corporal. O próximo texto é que a seleção natural, bem como na natureza ocorre, apenas os machos mais fortes, e os mais bonitos são atraídos pelas fêmeas para acasalar, logo a culpa é delas de quererem sempre a melhor genética, desde Eva, a culpada que comeu o fruto proibido, se não fosse a mulher, nada disso de ruim aconteceria no mundo.
    Pelo amor. O ser humano só olha pro outro, e tenta buscar teses justificativas, textos sem prova concreta, fotos dos manuscritos, e na arte, que realmente prove qualquer merda. A realidade é que cada um é escravo de si mesmo, não se comporta, não se basta, e busca no outro o que falta em si, ou mesmo, buscam tirar vantagem para não terem que ser apontados ou botar a mão na massa, pisar na uva, arrastar tronco, cortar cana.

  10. Já faz algum tempo que eu postei um comentário sobre meus pensamentos deploráveis neste artigo, no qual eu expressei minha opinião racista sem nexo, ofendendo, de forma agressiva, as populações de ascendência negra africana pelo termo insultante de “chimpanzés​ humanóides”.
    Lendo o comentário do tal Eduardo, o qual eu não conheço pessoalmente, mas que me fez perceber pelo sua posição sobre o que havia dito anteriormente, acabei me dando conta que, acabei me expressando da pior maneira possível sobre o que eu pensava em relação a outras pessoas apenas pela a aparência delas.
    Então, eu peço desculpas ao autor desta página por ter chamado​ a sua página de “mentira”, e a todos os que leram a atrossidade que primeiramente eu escrevi, sendo que devo desculpas principalmente aos indivíduos de ascendência negróide por ter ofendido vocês de “chimpanzés humanóides”, pois, caso vocês sejam dessa natureza eu o também o sou, porquê também sou um ser humano, e em nada me difero de um negro. Desculpem​-me pela minha opinião que outrora fui autor!
    Me arrependo de ter escrito tais abominações!

  11. o artigo mais sem pé nem cérebro de desmiolado revoltado que vive no mundo do país do nunca. o melhor que devia é ser mandado para o mundo da alice

    • 1 milhão de brancos escravizados por africanos (que não eram negros, diga-se de passagem) contra 12 milhões de negros escravizados por brancos tanto da Europa quanto da América… será que dá para se fazer alguma comparação? Embora seja igualmente triste que pessoas tenham sido escravizadas em algum momento da História, independente de sua etnia, é fato que a escravidão de negros excedeu em muito à dos brancos e deixou cicatrizes muito profundas na sociedade brasileira. Qual a repercussão que a escravidão de europeus mediterrâneos teve no Brasil? Nenhuma!! Ou devemos criar cotas para os descendentes de italianos? Eles sofrem algum tipo de preconceito ou discriminação? Claro que não, muito pelo contrário (e é bom que não sofram). Fantasia é não querer enxergar a verdade, porque ela incomoda. É só sair nas ruas, e não precisa ser sociólogo ou antropólogo para ver o quanto a negritude ainda está associada à pobreza e à delinquência. Por quê? Porque os negros já nascem maus? É óbvio que não! Isto ocorre como uma consequência direta e incontestável da escravidão que foi autorizada e executada pelo Estado brasileiro e, por isso, cabe a ele tomar as medidas necessárias para solucionar as suas mazelas. Os descendentes de italianos, que vieram substituir a mão-de-obra escrava, eram livres e tinham uma condição de vida muito superior à dos negros, não tem nem comparação. Os que dizem o contrário deveriam deixar de ser sínicos e egoístas, para tentarem criar uma sociedade mais justa. Afinal de contas, acho que, quase 129 anos após a assinatura da Lei Áurea, nós negros já esperamos demais por políticas públicas nesse sentido…

      • Exatamente!!!
        Qual foi o grande impacto que a escravidão de europeus causou na europa?? o único impacto foi a escravidão que eles fizeram com os africanos. Veja como esta o continente europeu atualmente, muitos países estão quebrados, mas também são países de primeiro mundo e não enfrentam os problemas que a áfrica e as Américas sofreram, herança do colonialismo. Excluindo Canadá e Estados Unidos, muitos problemas econômicos e até políticos tem suas raízes com a chegada dos europeus para explorar as terras.

    • Bem, então quer dizer que só porque os muçulmanos escravizaram povos europeus, quer dizer que eles devem ser as maiores vítimas? NÃO!!
      A questão do racismo ocorre porque nos países em que a mão de obra proveniente da África era escrava! e escravos não eram tratados como seres humanos, muitas vezes sendo tratados pior do que animais. O fim da escravidão trouxe apenas a oportunidade dos escravos de não terem mais donos e nem de serem obrigados a trabalhar, mas mesmo assim, continuaram sendo maltratados pelas esferas hierárquicas da população, e veja que interessante: o governo e as elites eram brancas!
      Se os europeus sofreram com a escravidão, os negros sofreram também. Nunca vi nenhum relato de gente branca sofrendo por cor de pele, ou não conseguindo trabalho por conta da cor de pele. NÃO EXISTE RACISMO REVERSO.

  12. O autor desta página deveria estudar melhor antropologia, por que ele está pensando que mouros são negros africanos, quando na verdade os mouros (habitantes da Mauritânia) são caucasóides mediterrânicos, enquadrados em um mesmo ramo étnico da etnia (“raça”) caucasiana que os europeus do sul: o Mediterrâneo.

    O Renato Furtado está errado ao afirmar que o termo mouro no latim significa “negro”, mas sim “moreno” (que digamos, é um tom de pele distinto do preto).
    O próprio termo “mouro” foi usado no passado de uma forma muito abrangente, para designar qualquer população nativa do Norte da África, sendo assim eram denominados mouros qualquer população norte-africana, independentemente se essa população fosse composta por brancos ou por negros, embora hoje a palavra mouro é aplicada somente aos habitantes da Mauritânia.

    Os mouros são em sua maioria caucasóides, assim como os europeus, sendo que possuem uma pele mais pigmentada em relação a dos povos da Europa, somente por mera adaptação a forte irradiação solar do Norte da África.
    No entanto, é verdade que também existem mouros negros, mas estes são uma minoria, sendo que a maioria das população moura é branca, constituída por mais de 1,2 milhão de pessoas, habitando principalmente na Mauritânia.
    Então, porque ainda assim os mouros não são considerados caucásicos pelas pessoas? Isso é devido a dois fatores:
    . A definição do termo “caucasóide” pelas pessoas é fortemente associada a pele clara (o que na antropologia não tem lógica, pois a definição de etnia ou “raça” usada pelos antropólogos para determinar o grupo étnico de u população faz parte é estrutura óssea e o formato do crânio);
    . A peça de William Shakespeare “Otelo, o mouro de Veneza” tem como personagem principal um mouro chamado Otelo, o qual é descrito por Shakespeare como negro.
    No entanto, esses fatores não mudam nada: os mouros continuam sendo caucasóides, quer as pessoas aceitem ou não, o que vale também para o Renato Furtado, que deveria parar de considerar os mouros como negros.

  13. Que texto mal redigido começou com um assunto colocou o email do historiador e não concluiu, quando vi não tinha entendido nada. Q tal pesquisar e escrever com mais propriedade ? Perdi um tempo tentando entender.

  14. Olá. Em 1415 se deu o inicio da expansão marítima e o objetivo inicial era difundir a fé cristã. Somente alguns anos depois, quando se conseguiu atravessar o Cabo das Tormentas , com embarcações mais fortes, seguras e maiores é que foram sendo construídos mais entrepostos comerciais (50) ao longo da África até às Índias e ao porto de Malaca. Ao Japão só chegaram 100 anos depois fundando a cidade de Nagasaki.

Comente para que eu possa evoluir a cada artigo